Censo é adiado para 2021 por avanço do coronavírus

O Conselho Diretor do IBGE decidiu hoje (17) pela suspensão da coleta domiciliar presencial da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), considerando o quadro de emergência da saúde pública causado pelo COVID-19 e as orientações do Ministério da Saúde.

Em breve, o IBGE anunciará o novo cronograma do Censo Demográfico. Segundo informações, o próximo Censo terá como referência 31 de julho de 2021 e a coleta será realizada entre 1º de agosto e 31 de outubro de 2021.

O concurso para 208 mil vagas anunciado para a realização do Censo foi suspenso. Os candidatos que já fizeram o pagamento da inscrição serão reembolsados.

Fonte: IBGE

Cartilha para a criançada sobre o Coronavírus, prevenir é o melhor remédio

Segue um livrinho eletrônico para informação, dirigido especialmente ao público infantil.

Leia Cartilha no link abaixo:

LIVRINHO XO CORONAVIRUS – ATIVIDADES – MATERIAIS PEDAGÓGICOS.pdf

 O Coronavírus  é vírus desconhecido pela ciência até há pouco vem causando uma doença pulmonar grave em centenas de pessoas na China, e já foi detectado em Estados Unidos, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul e Macau. Já chegou no Brasil.

O novo coronavírus (o Covid-19) que se espalha pelo mundo passou do status de “ameaça muito grave” para o de pandemia na tarde deste 11 de março, de acordo com comunicado feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O número de casos fora da China se multiplicou por 13 e atinge 118 mil casos em 114 países.

Fonte: Agência Brasil e https://brasil.elpais.com/sociedade

A origem da caipirinha e o maior holocausto médico da história

Caipirinha: remédio ou drink? O Instituto Brasileiro da Cachaça (IBRAC), em uma de suas versões para a criação da caipirinha, diz que a bebida teria sido criada como remédio para curar a gripe espanhola, por volta de 1918, no interior do estado de São Paulo.

A caipirinha, como conhecemos hoje, teria sido criada a partir de uma receita popular feita com limão, alho e mel, indicada para os doentes da gripe espanhola. Não se tem registro da eficácia do remédio. Posteriormente, retirou-se o alho e substituiu o mel pelo açúcar e serve-se como drink e virou símbolo nacional.

Registra o jornal El País que naquele ano de 1918, a busca por remédios milagrosos teve um efeito colateral inusitado, a criação da caipirinha. As escolas brasileiras aprovaram todos os alunos e gerou a semente do SUS.

A seguir veja as principais pandemias dos séculos XX e XXI:

1918 -1919:  Gripe Espanhola, a mãe de todas as pandemias.

Acredita-se que ser a “mãe de todas as pandemias”, como ficou conhecida depois. As estimativas preveem que a doença matou entre 50 milhões e 100 milhões de pessoas pelo mundo até 1919 e 40% da população mundial foi infectada.

A Primeira Guerra Mundial fez menos da metade de vítimas, cerca de 30 milhões de pessoas.

O número não é exato porque, à época, as informações eram limitadas, já não era do interesse das nações divulgarem que havia uma doença contagiosa atingindo seus soldados.

O vírus da gripe espanhola, o H1N1, era semelhante ao da gripe suína. O custo para conter os efeitos do vírus foi tão alto que médicos chegaram a classificar a pandemia como “maior holocausto médico da história”.

1957 – Gripe Asiática

A gripe asiática também teve início na China e matou até 2 milhões de pessoas no mundo, principalmente idosos. Chegou nos Estados Unidos pela Califórnia e, em seguida, espalhou-se pela Europa.

1968 -1969:  Gripe de Hong Kong

A OMS estima que a gripe de Hong King (H3N2) — a terceira pandemia do século XX —, tenha matado 1 milhão de pessoas entre 1968 e 1969. É provável que o vírus que causou a doença tenha evoluído da gripe asiática. O surto começou a ser transmitida por aves.

2009 – Gripe Suína

A pandemia mais recente que o mundo viu foi causada pela A (H1N1), conhecida como gripe suína, em 2009. Acredita-se que o vírus veio do porco e de aves. O primeiro caso foi registrado no México.

A OMS elevou o status da doença em junho de 2009, depois de contabilizar 36 mil casos em 75 países. No total, 187 países registraram casos e quase 300 mil pessoas morreram. O fim da pandemia foi decretado pela OMS em agosto de 2010.

 2020 – Coronavírus

Um vírus desconhecido pela ciência até há pouco vem causando uma doença pulmonar grave em centenas de pessoas na China, e já foi detectado em Estados Unidos, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul e Macau. Já chegou no Brasil.

O novo coronavírus (o Covid-19) que se espalha pelo mundo passou do status de “ameaça muito grave” para o de pandemia na tarde deste 11 de março, de acordo com comunicado feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O número de casos fora da China se multiplicou por 13 e atinge 118 mil casos em 114 países.

Fonte: Agência Brasil e https://brasil.elpais.com/sociedade

Censo 2020: últimos dias para inscrição no concurso do IBGE para vagas temporárias para agente censitário e recenseador

Para realizar a megaoperação de recensear todos os 71 milhões de domicílios brasileiros durante a coleta do Censo 2020, o IBGE irá precisar de um grande reforço de pessoal, com contratações temporárias em praticamente todos os municípios brasileiros por meio de dois Processos Seletivos Simplificados (PSS). Há vagas para Agente Censitário Municipal (ACM) e Agente Censitário Supervisor (ACS) e para Recenseador. A organizadora dos processos seletivos é a Cebraspe. E o telefone de atendimento é 0800 061 2020.

Confira as vagas disponibilizadas no Edital nº 02/2020 (ACM e ACS) e no Edital nº 03/2020 (Recenseador), que estão com inscrições abertas até 24/03/2020.

A remuneração mensal prevista para o Agente Censitário Municipal é de R$ 2.100,00. Ele desempenha a função de gestor de uma equipe de agentes supervisores e de recenseadores. O Agente Censitário Supervisor receberá R$ 1.700,00 por mês, cumprindo funções técnicas, administrativas e operacionais. Já o Recenseador ganhará por produtividade, a depender da área de coleta de dados e da quantidade de estabelecimentos recenseados.

O candidato que tenha participado de processos seletivos anteriores do IBGE poderá inscrever-se na seleção para o Censo. Isso não era permitido pela Lei 8745/1993, que trata das contratações temporárias no serviço público. Contudo, o governo editou a Medida Provisória 922, no último dia 2 de fevereiro, que retira essa restrição das seleções. A MP vale por 60 dias e depende da aprovação do Congresso para mudar a lei definitivamente.

Fonte: site do IBGE.

Sem disparar um tiro, a China acaba de vencer a 3ª Guerra Mundial

Com a crise causada por ela, a China compra bilhões em empresas transnacionais, e pode estar muito perto do controle majoritário dessas empresas, os ocidentais viraram seus escravos, assim como seu povo há milênios, garantido os privilégios de uma elite comunista e voraz.

A China acaba de ganhar a 3ª Guerra mundial com mentiras biológicas, um golpe econômico e mentiroso, destruiu todas as economias produtivas que negociavam com ela sem disparar um tiro.

Repúdio à estratégia moderna, suja e comum dos povos comunistas, usaram o capitalismo contra o próprio capitalismo, plantando vírus e mentiras e disseminando-as pela mídia da mesma laia.

Passaremos meses tentando recuperar o estrago causado por esses monstros e seu coronavírus. Caíram direitinho na armadilha negociando com eles e criando dependências econômicas baseadas nas armadilhas da escala, vamos vender milhões de qualquer coisa para eles e enquanto isso escravizavam seu povo para produzir bens e serviços a preços aviltantes, foram enfraquecendo pacientemente a economia mundial, criando a dependência.

Caso não tomemos atitudes e os isolemos para que vivam do seu jeito e não mais nos afetem com sua podre e escravagista economia onde uma casta se locupleta e um povo morre de fome e doenças, esse será nosso destino. Viva as inteligentes e modernas estratégias comunistas de destruição em massa, elas funcionam e muito bem. Dr. Cesar Bertonha,

Três décadas após o colapso da União Soviética em 1991, a China está agora mais rica e mais estável do que jamais foi seu poderoso antecessor comunista – dando-lhe enorme influência global.

De fato, espera-se que a economia da China supere os EUA pela maioria das medidas econômicas até 2030, de acordo com Herve Lemahieu, diretor do Programa Asiático de Poder e Diplomacia do Instituto Lowy, com sede em Sydney.

Muito desse sucesso se deve a uma reinterpretação da ideologia tradicional. Desde a morte do fundador Mao Zedong, em 1976, o Partido Comunista no poder passou lentamente a adotar aspectos do capitalismo, em uma construção ideológica conhecida localmente como “socialismo com características chinesas”.

Em vez de acabar com o anacronismo de um sistema comunista ultrapassado, a economia planejada da China foi usada para reforçar dramaticamente as empresas estatais, agora algumas das maiores empresas do mundo.

“A União Soviética se concentrou em suas forças armadas e a economia foi quase uma reflexão tardia. A economia soviética se concentrou quase inteiramente em suas forças armadas”, disse Carl Schuster, ex-diretor de operações do Joint Intelligence Center do Comando do Pacífico dos EUA, que trabalhou como Especialista militar soviético para a Marinha dos EUA durante a Guerra Fria.

A China tentou evitar cair em uma armadilha de crescimento militar rápido e insustentável. Embora ainda tenha crescido e modernizado constantemente suas forças armadas, o país conseguiu manter seus gastos muito abaixo dos níveis exorbitantes da União Soviética, pelo menos publicamente.

Em 1989, pouco antes do colapso do governo, revelou-se que a União Soviética estava gastando cerca de 8,4% de seu PIB nacional nas forças armadas, ou mais de 15% de seu orçamento nacional. Em comparação, apesar dos saltos regulares no orçamento de defesa nacional da China, ele ainda representa apenas 1,9% do PIB total do país.

Como resultado, a China é muito mais economicamente poderosa em 2019 do que a União Soviética. “Durante a Guerra Fria na década de 1980, a União Soviética tinha uma economia menor que o Japão”, disse Lemahieu.

Fonte:https://edition.cnn.com/2020/01/02/asia/us-china-cold-war-intl-hnk/index.html

ELEIÇÕES 2020: Como calcular o quociente eleitoral

Determina-se o quociente eleitoral dividindo-se o número de votos válidos apurados pelo de lugares a preencher em cada circunscrição eleitoral, desprezada a fração se igual ou inferior a meio, equivalente a um, se superior (Código Eleitoral, art. 106).

Com o fim das coligações para as eleições proporcionais estabelecido pela Emenda Constitucional nº 97/2017, no pleito deste ano a disputa será acirrada entre os candidatos às Câmaras Legislativas. Para obter o quociente eleitoral suficiente para conquistar uma das vagas disponíveis. Como o cálculo é feito pelo voto dado à legenda, as coligações são observadas com reserva pelos candidatos dos partidos de menor projeção.

De acordo com o art. 108 do Código Eleitoral, estarão eleitos, entre os candidatos registrados por um partido ou coligação que tenham obtido votos em número igual ou superior a 10% (dez por cento) do quociente eleitoral, tantos quantos o respectivo quociente partidário indicar, na ordem da votação nominal que cada um tenha recebidos.

Para o candidato a vereador, dependendo da coligação majoritária, o horizonte se descortina em tons de aurora ou ocaso. O cenário ganhou uma complexidade inédita. Sem espaço no horário da propaganda eleitoral em rede de televisão e rádio, dependendo apenas das inserções na grade das programações, os pleiteantes ao cargo de vereador contarão este ano sobretudo com a força da internet.

Na avaliação do analista eleitoral Flávio Braga, analista judiciário da Justiça Eleitoral do Estado, a modificação da lei no sentido de proibir as coligações proporcionais em nada modifica o quociente eleitoral. “Não houve nenhuma modificação substancial no pleito deste ano. Os mesmos cálculos para o quociente eleitoral de 2018 vai prevalecer este ano”, ressalta Braga.

A novidade do pleito deste ano são as vagas não preenchidas com aplicação do quociente partidário, que é a exigência de votação nominal mínima de 10%, distribuídas entre todos os partidos políticos que participarem do pleito, independente de terem ou não atingido o quociente eleitoral.

Como se calcula o quociente 
Para fazer a conta é necessário se saber quantos votos válidos foram obtidos na eleição.  O quociente eleitoral é definido, dividindo-se o número de votos válidos apurados pelo número de cadeiras da câmara. Neste caso, despreza-se a fração se for igual ou inferior a meio (0,5), e acrescenta-se um, se for superior.

QE = número de votos válidos / número de cadeiras da Câmara.

Supondo que nas eleições deste ano tenham 300 mil votos válidos, seriam necessários para um partido eleger um vereador precisaria de 10 mil votos. Legendas com menos votos, não têm direito à vaga. Daí a caça aos puxadores de votos. O número de vagas que cada partido tem direito é calculado através do quociente partidário.O cálculo do sistema proporcional, usado para os cargos de deputado estadual, federal, distrital e vereador, é complexo para leigos. Este ano a eleição proporcional alcança apenas as vagas do legislativo municipal, vereadores. Neste cálculo são levados em conta os votos brancos e nulos, manifestação apolítica ou de repúdio à classe política.  É prerrogativa do eleitor votar em um candidato ou na legenda.

Fonte: O Imparcial de 15/03/2020 e site TSE.

O dia da multiplicação dos livros

Cada expedição do Fórum da Baixada é uma missão cercada de mistérios. Primeiro, é a dúvida quanto ao comparecimento dos que coloram o nome na lista, pois os encontros acontecem, quase sempre, na madrugada.

Essa dúvida atormenta os organizadores porque geralmente recebemos o transporte em cessão, o qual solicitamos na medida das inscrições.

Lembro-me que em uma das expedições solicitamos um ônibus para 30 pessoas, mas somente 17 guerreiros tiveram coragem de estar na Praça Maria Aragão às 04 horas da manhã. Resultado: o Fórum teria que ressarcir a diferença! Perdeu quem não foi, tivemos uma expedição memorável.

De outra feita, fomos ao Quilombo de Frechal, para participar de um evento promovido pelo Sebrae. O ônibus que iria nos aguardar no Porto do Cujupe, foi parar em Alcântara e nós, com a força de expedicionários, pagamos o transporte regular e fomos ao local. O Superintendente do Sebrae, o forense João Martins, não conseguiu almoçar até que chegamos ao local já eram mais de 13 horas.

Essa expedição foi considerada a melhor de todas, até agora, tivemos o privilégio de dormir na Casa Grande do quilombo do Frechal e participar de rodada de conversa com as pessoas do lugar, em uma noite de luar.

Porém, nada se compara em emoção à expedição a São João Batista ocorrida em 02 de dezembro de 2017 que se propunha relançar o Livro Ecos da Baixada naquele município. O primeiro lançamento ocorreu dia 14/11/2017 em São Luís. Não combinamos quem levaria os exemplares do livro para serem vendidos. Chegando lá, ficamos sabendo que tínhamos apenas 11 (onze) livros para serem comercializados para uma plateia de mais de cinquenta pessoas.

O desespero se abateu sobre o chefe do cerimonial, que me perguntava a todo o momento: – o que faremos? Deu-me um sono momentâneo, resultado da noite não dormida e do peso do comunicado iminente:  não haveria livros para vender. Minha irmã Ana Cléres que foi de Peri-Mirim para o evento, me despertou do cochilo em plena mesa de cerimônia.

Novamente o colega me abordou: – o que faremos? De repente, sem pensar em nada, disse a ele: – vamos sortear os 11 livros! Ele virou e disse: “boa ideia’. E assim procedemos. Outro colega, auxiliado por outros começaram a distribuir um pedacinho de papel para colocar o nome dos presentes e depois proceder ao sorteio.

Os onze livros encheram o salão e ninguém falou em comprar livros. Os colegas não falaram mais no assunto, até hoje. Nós forenses envolvidos nesse episódio criamos laços de amizade ainda mais fortes, pela parceria na resolução de um problema, que se avizinhava intransponível. Por tudo isso, eu trato esse episódio como “o dia da multiplicação dos livros”.

Como os livros estavam em meu poder para venda, fiz o depósito do valor corresponde aos 11 livros sorteados na conta da instituição.

Depois desse episódio, fizemos outras expedições a Matinha, Viana, São João Batista novamente, Bequimão (Expocapril e Paricatiua) e tudo voltou à quase normalidade, pois a agonia dos encontros na madrugada, permanece.

Que venham mais expedições do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense, pois temos que conhecer para amar essa bela região.

Fragmentos da História de Peri-Mirim e sua gente

Este espaço é reservado aos relatos de pessoas, a fim de que possamos ir juntando as histórias em um Resgate da memória do nosso município. É o chamamento Universal.

Texto enviado por Walcler de Lima Mendes, que é da Família de Ignácio de Sá Mendes.

Estamos pesquisando sobre a família de Victor de Sá Mendes, meu pai. Nasceu provavelmente em Peri Mirim (Vila de Macapá?) em 1895, onde estudou os primeiros anos. Aos 18 anos mudou-se para São Luís, onde estudou Contabilidade. Era filho de Manoel Gonçalves de Sá Mendes e Maria Clara Martins Mendes, que vieram de Portugal e se estabeleceram na região. Além de Victor tiveram outros filhos, entre eles, Raul, Inácio, Paulo e Tereza (Tia Roseira). Os sobrinhos Fernando Pinheiro Mendes e Hilda Pinheiro Mendes residiram conosco em São Luís durante dez anos (por volta de 1946 a 1956).

Estamos em busca de certidões de nascimento de meu pai – Victor de Sá Mendes e de óbito do avô, Manoel Gonçalves de Sá Mendes. Já conseguimos contato com o Dr. Itaquê Mendes Câmara, que possui um Diário de Ignácio de Sá Mendes.
Gostaríamos de manter contato.

Atenciosamente,
Walcler de Lima Mendes

O Terror Vermelho espalhou-se pelo mundo em forma de vírus

A China saiu do seu território para dominar o mundo. A pandemia do Coronavírus ajuda a entender a política, e põe no retrovisor as experiências da China contra seus cidadãos para implantar o comunismo.

O fato recente do Coronavírus que se originou naquele país, remete-nos à sanguinolenta realidade que predominou na China entre os anos de 1949 e 1976, os anos da ditadura comunista de Mao Tsé-Tung (ou Mao Zédong).

De acordo com a obra O Livro Negro do Comunismo, a China é especialista em aplicação de planos. Para o plano denominado o “Grande Salto para Frente”, de 1958 a 1960, o número de mortos varia entre 20 milhões e 75 milhões. No período anterior foi de 20 milhões. No período posterior, dezenas de milhões a mais.

Um dos últimos planos para manter o comunismo foi do “Desabrochar das Cem Flores”, em que as pessoas foram encorajadas a falar abertamente e mostrarem seus pontos de vista, uma oportunidade muito tentadora para os intelectuais.

Na verdade, foi tudo uma armadilha. Todos aqueles que falaram contra o que estava acontecendo na China foram arregimentados e aprisionados, talvez entre 400.000 e 700.000 pessoas, incluindo dez por cento das classes mais educadas. Outras eram rotuladas de direitistas e sujeitadas a interrogatório e reeducação; outras eram expulsas de suas casas e isoladas.

Atualmente, a  China lança seus planos contra o resto do mundo para se tornar “A Primeira Superpotência Econômica”, para isso, não se importa em matar, aliás, seu passado demonstra que ela não tem nenhum compromisso com a vida.

Segundo Alexandre Garcia, a China é quem mais lucra com o Coronavírus. No seu comentário de toda manhã na Rádio Andaiá FM, o jornalista disse que desconfia dos objetivos dessa doença e que a China está resolvendo os problemas econômicos internos com a pandemia.

A OMS classificou a doença como pandemia. Lembra que em 2013 a mesma Organização disse que a gripe aviária também era uma pandemia, mas a China cresceu mais graças a essa doença. A China também cresceu mais com a gripe suína e com a peste suína africana. A China também vai crescer mais com o coronavírus. No país asiático, o surto já está acabando e agora o país está crescendo, ou dizem que está acabando, quem sabe precisar?

A China, que é uma grande compradora de petróleo, está comprando o combustível 30% mais barato. Está comprando mais barato também as commodities e o minério de ferro do Brasil´e as empresas. Aqui a bolsa de valores caiu e o dólar subiu …

A China está comprando alimentos com valor mais baixo. Além de estar aproveitando para comprar empresas ocidentais cujas ações caíram de preço. Está uma maravilha para a China. Eles vão conseguir resolver os problemas internos e a inflação graças ao coronavírus, afirma o referido jornalista.

Não se iludam: o Terror Vermelho espalhou-se pelo mundo em forma de vírus. Caso não haja reação dos Estados Unidos que parece estar agravando a crise, bilhões de dólares cairão no colo da China de bandeja. As notícias já começam a aparecer: China declara fim do pico do vírus e a economia do resto do mundo em frangalhos.

Os governantes do Brasil têm que ter a coragem de estabelecer quarenta nos portos brasileiros, fechar a bolsa de valores por prazo indeterminado. Não deixem que as matérias-primas sejam “doadas” para a China, implantem a política de salvaguarda das riquezas nacionais. Estimulem que as empresas se instalem no Brasil, ou crise é oportunidade somente para os chineses?

FPM: O 1.º decênio de março de 2020 já foi creditado. Confira os valores a receber pelos municípios da Baixada Maranhense

Foi creditado na última terça-feira, 10 de março, nas contas das prefeituras brasileiras, o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) referente ao 1.º decêndio do mês.

Não obstante o aumento de aproximadamente 25% em relação ao decênio anterior (3.º decênio de fev/2020), de acordo com os dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), o 1.º decêndio de março de 2020, comparado com mesmo decêndio do ano anterior, apresentou uma queda de 13,91%, evando-se em conta a inflação do período, comparado ao mesmo período do ano anterior, a queda é de 16,39%.

Confira os valores creditados para os municípios da Baixada Maranhense (1º Decênio de março/2020).

Tabela ACMS: FPM 1º Dec. 03/2020

Fonte: Secretaria do Tesouro Nacional e CNM.