WhatsApp, Instagram e Facebook estão fora do ar!

WhatsApp, Instagram e Facebook estão fora do ar! O problema parece estar afetando tanto os três aplicativos – todas  propriedade do Facebook – deixaram de funcionar cerca das 12:30h (horário de Brasília) do dia 04 de outubro.

Os usuários do site do Facebook encontram uma página de erro ou uma mensagem informando que o navegador não se conseguiu conectar.

Já o WhatsApp e o Instagram continuam funcionando, mas não atualizam, não mostrando por isso novos conteúdos nem mensagens enviadas ou recebidas.

Fonte: https://news.google.com/

OS PESSOA (O “FIO” MUSICAL)

Por Zé Carlos

Atendendo a uma sugestão especialíssima, volto a saga da música pinheirense, temática já abordada em ROSÁRIO & PESSOA: a harmonia perfeita.

Tarefa extremamente agradável, que me levou, um “pouquinho” mais, às minhas RAÍZES, onde pude reafirmar a importância dos PESSOA, para a vida musical de nossa Princesa da Baixada.

Nesse cenário, vamos encontrar, do segundo para o terceiro quartel do século XX, Filipinho Pessoa, que comandou algumas formações musicais, a animar os galantes bailes e a invadir a noite com suas famosas e sensacionais serenatas. Então, o que dizer dos carnavais! Carnavais homéricos, a “endoidecer” a cidade. Lembranças carnavalesca, que despertaram em um saudosista ferrenho, o meu pai Zé Carrinho Pessoa, até o ensaio de uma das músicas da época. “Seu Mané Garrincha, como é que se faz gol / Seu Mané Garrincha, como é que se faz gol / Seu Mané Garrincha, pega a bola e dribla um, dois, três, quatro, cinco, seis / E depois dá de bandeja, pra marcar / Quem faz o gol? É o Pelé”. Eita, lembranças!

Voltemos a Filipinho Pessoa. Um músico pleno, que lia e escrevia partituras, para todos os instrumentos. Verdadeiramente, um mestre, que teve a felicidade de ver-lhe os filhos “trilhando a sua mesma trilha”. Músicos. E que músicos! Fernando, Zé, Raimundo, Inácio, João, Heiter, Isabel (tia Bela, arrasando no violão). A exceção masculina fica por conta de tio Antônio Pessoa, que tocava nenhum instrumento.

Nesse “mergulho” musical, encontrei, como primeira referência, uma “orquestra”, liderada por ele (Filipinho Pessoa), no trombone, junto com Luís de Iria e irmãos. Luís de Iria, no violino; um irmão, que infelizmente não consigo nomear, na bateria; e o outro irmão, , no piston.

Há de se ressalvar que provavelmente houve outras incursões nessa seara. Não consegui outras informações. Assim como aproveitar para já me desculpar se, por ventura, esqueci alguém. Espero que venham contribuições, que possam completar minhas informações e / ou elucidar algumas lacunas apresentadas aqui. A curiosidade, pois, que me consome agora, é saber quem o levou à tamanha maestria.

O certo é que desfeita a formação citada, vovô Filipinho, ainda no trombone, partiu para nova empreitada. Criou a banda Jazz Pinheirense, referência musical a toda a Baixada e influência às gerações seguintes. “Bandaço“, em que contava com a companhia de Bigodinho, no pandeiro; Fernando Pessoa, no banjo; Guadêncio Peocapá, no violino; Heiter Pessoa, na bateria; e José Tomé, no piston. Haja talentos!

Filipinho Pessoa tinha apenas um irmão, Mundico Pessoa. Este não tocava, mas a genética musical fez-se presente em seus descendentes: Geovane Pessoa, no sax, e Álvaro, o genial Caeira, “mestríssimo”, no pandeiro.

Para não ser injusto, necessário se faz ressaltar que nossa querida cidade “acalentou” outros monstros sagrados e respeitados, com quem meu avô conviveu, ora trocando conhecimentos, ora dividindo o palco, como o senhor Hernane Leite, professor de música; a família Soares, composta pelos irmãos Parmenas (saxofone), Arlindo (piston), e Lourenço (não consegui saber o instrumento); mestre Valeriano (violino); Zé Derinho (bateria); Belírio (bateria); Zé de Cristina (cabaça e pandeiro); os meus tios Hamilton, morador da Enseada (banjo) e Benedito do Rosário (saxofone); Zé Chagas (saxofone); Chiquinho Oliveira (saxofone); e os irmãos de Queimadas, liderados por Mundoca, com o seu piston, a assombrar e embalar os pés-de-valsa em nossas festas.

Diante dessa plêiade, pode-se entender o caminho musical, que Pinheiro trilhou. Pena que se perdeu “o fio da meada”. O “fio” musical!

Nota: O Fernando Pessoa da foto é bisneto de Filipinho Pessoa.

Dia Internacional da Não-Violência

O Dia Internacional da Não-Violência foi instituído pela ONU em resolução de 15 de junho de 2007, para marcar a data do nascimento do líder pacifista hindu Mahatma Gandhi.

Para o secretário da ONU, Gandhi mostrou o poder da oposição pacífica à violência e ao ódio. Ele “mostrou como a cooperação pode prevalecer sobre a injustiça e demonstrou o grande valor do Estado de Direito na quebra de ciclos viciosos de vingança”. António Guterres

A violência institucionalizada em nossa sociedade anuncia sua própria continuidade de modo impassível e implacável. Seja no interior dos lares, na convivência escolar, nas ruas e ambientes de convivência múltipla, no relacionamento entre pares, amantes ou familiares de todos os graus, em pleno 2021 ainda lemos, ouvimos, vemos e vivemos situações extremamente violentas.

Mas o que mais assusta neste cenário devastador?

  • As estatísticas mensuradas pelas instituições e organizações de segurança e justiça?
  • Os prontuários que resultam em laudos que comprovam o exercício de violências brutais?
  • A existência de instituições que só operam pela própria violência?
  • As guerras militares, civis, religiosas… ora tão distantes, ora no interior da cidade que vivemos?

São muitas perguntas que surgem diante da primeira, mas todas associam-se ao avanço de uma sociedade que busca responder todos os níveis de violência com mais violência. Por meio desta racionalidade, podemos enxergar com clareza o que precisamos enfrentar pela frente. Embora o mundo finalmente esteja se transformando muito, a violência não vai acabar amanhã… E, pelo andar da carruagem, talvez ao contrário.

Justamente por isso o Dia Internacional da Não Violência deve ser lembrado e discutido, mas de modo algum celebrado – tendo em vista a própria necessidade de existência de uma data como esta. Não haverá o dia em que este tema não precisará ser lembrado, mas é possível sim nos transformar e transformar nossas realidades para que a violência institucionalizada não seja algo tão banal.

Essa data, 02 de outubro, foi escolhida pela ONU por ser o nascimento de um dos maiores porta-vozes da causa, Mahatma Gandhi (1989-1948). Para as Nações Unidas, o exercício da não violência é uma tarefa coletiva, jamais exclusiva aos governos e organizações internacionais:

“A paz pode ser alcançada numa mesa de negociações, mas são as comunidades que a consolidam. A paz começa no coração das pessoas que estão empenhadas em alcançá-la. Cada comunidade, família e pessoa têm um papel determinante a desempenhar na eliminação da violência e para a criação de uma cultura de paz”.

Mas o que a Aventura de Construir tem a ver com este tema? O ponto chave é: nossa missão de desenvolvimento territorial inclusivo envolve uma série de benefícios através do fortalecimento da própria comunidade: melhora na qualidade de vida e saúde familiar, estabilidade escolar dos filhos, desenvolvimento de uma economia circular e de novos negócios, respeito às diversidades, redução das violências e muitos outros aspectos.

Dentre esses elementos supracitados, a questão da redução da violência é um pilar extremamente relevante. Em relação às áreas da periferia da Zona Oeste que atendemos, nota-se que elas não estão entre os bairros mais violentos de acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública de São Paulo. Por mais complicada que seja essa mensuração, a qual pode ser analisada aqui, entendemos que nosso trabalho realizado nos últimos anos, junto com a presença de outras instituições como a ATST e Educar para a Vida, tem efeito positivo sobre as pessoas que vivem nestes territórios.

A Aventura de Construir não é responsável diretamente por este quadro, mas com certeza o é indiretamente, a partir do nosso esforço em formar protagonistas que multipliquem seus aprendizados no interior de suas comunidades e relacionamentos. Hoje, nós ainda não podemos celebrar o Dia Internacional da Não Violência, mas podemos afirmar que colaboramos para que este tema seja discutido e refletido em todos os níveis de nossa sociedade em transformação, em especial com as populações mais vulneráveis. Assim, esperamos contribuir para que a vida das pessoas de baixa renda, as quais são atravessadas por diferentes tipos e graus de violência cotidianamente, possa melhorar e ser fortalecida a partir do protagonismo.

Nós esperamos que esse Dia Internacional da Não Violência, e a vida de Mahatma Gandhi, nos inspire hoje e sempre a colocar em prática uma comunicação não violenta em todos os níveis e aspectos da vida!

30 de janeiro. Dia da Não-Violência | Instituto Bancobrás

Grupo Violes: Dia da Não Violência: 'Um mundo mais sustentável será um mundo mais seguro', afirma chefe da ONU

Fonte: https://aventuradeconstruir.org.br/; https://agenciabrasil.ebc.com.br/; https://brasilescola.uol.com.br/

Por que Outubro Rosa?

Movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama, o Outubro Rosa foi criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. A data é celebrada anualmente, com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença; proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade. O INCA — que participa do movimento desde 2010 — promove eventos técnicos, debates e apresentações sobre o tema, assim como produz materiais e outros recursos educativos para disseminar informações sobre fatores protetores e detecção precoce do câncer de mama.

Conhecido como o mês da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama, o Outubro Rosa é celebrado desde os anos 90. O objetivo da campanha é fornecer informações sobre a doença, promovendo maior acesso aos serviços de diagnóstico.

Todo ano, monumentos são iluminados nos mais diversos tons de rosa com a intenção de expor ao mundo a importância da luta contra o câncer de mama. Isso porque essa doença é considerada uma das responsáveis pelo maior número de mortes de mulheres em todo o mundo.

Sobre o câncer de mama no Maranhão

Segundo a Fundação Antonio Dino, mantenedora do Hospital do Câncer Aldenora Bello, o câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais comum no mundo e o frequente entre as mulheres. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), foram estimados mais de 62.280 novos casos de câncer de mama no ano de 2020, no Brasil.

A incidência do câncer de mama tem subido progressivamente nos últimos anos, e já se tornou um importante problema de saúde pública. A taxa de sobrevida em 5 anos após o câncer de mama pode chegar a 89% em países desenvolvidos. Entretanto, essa realidade é bem diferente em países menos desenvolvidos, como o Brasil, reduzindo a sobrevida em 5 anos da população mundial a 61%, devido a dificuldades para o diagnóstico precoce e tratamento adequados. 

Adquira a sua camiseta para a Campanha 2021 do Hospital Aldenora Bello.

Para ajudar a entender mais sobre essa campanha os institutos do câncer de todos o Brasil mantêm campanhas de conscientização! Veja mais sobre o assunto em Instituto Biossance e Instituto Nacional do Câncer.

https://www.inca.gov.br/assuntos/outubro-rosa e https://biossance.com.br/blogs/

Polícia Federal deflagra operação em Imperatriz e mais duas cidades por conta de desvios de recursos da covid-19

A Polícia Federal, com o apoio da Controladoria-Geral da União, deflagrou, na manhã desta quinta-feira, 30/09/2021, nas cidades de SANTA LUZIA/MA, BERNARDO DO MEARIM/MA IMPERATRIZ/MA, a Operação VESALIUS, com a finalidade de desarticular grupo criminoso estruturado para promover fraudes licitatórias e irregularidades contratuais no âmbito dos Municípios de Santa Luzia e Bernardo do Mearim, dentre outros, envolvendo recursos públicos federais que seriam utilizados no combate à pandemia da COVID-19.

A investigação teve origem a partir do Relatório sobre os Indícios de Irregularidades nas COMPRAS PÚBLICAS de Insumos e Bens para o combate à Pandemia provocada pela COVID19, no período de 01 de março a 31 de maio de 2020, elaborado pela Central de Operações Estaduais da Secretária da Fazenda do Maranhão (COE/SEFAZ/MA).

Ao todo 28 (vinte e oito) policiais federais e 5 (cinco) servidores da CGU cumpriram as determinações judiciais expedidas pela 2ª Vara Criminal da Seção Judiciária do Maranhão, que decorreram de representação elaborada pela Polícia Federal.

Se confirmadas as suspeitas, os investigados poderão responder por dispensa de licitação fora das hipóteses legais (Art. 89, da Lei 8.666/93), peculato (Art. 312, Código Penal) e associação criminosa (Art. 288, Código Penal), com penas que, somadas, podem chegar a 20 anos de prisão.

A denominação “VESALIUS” faz referência ao médico belga Andreas Vesalius, considerado o pai da anatomia moderna que escreveu a primeira referência sobre ventilação mecânica como conhecemos hoje. A simulação de compra investigada teve como objeto o fornecimento de respiradores para atendimento às demandas emergenciais geradas pela Pandemia COVID19.

Avalie o processo eleitoral de 2022:

Pesquisa de Opinião – Brasil 2021 (atlasintel.org)

Fonte: Diego Emir

Justiça suspende exigência do passaporte da vacina na cidade do Rio

Na decisão, o desembargador Paulo Rangel afirma que o passaporte é uma “ditadura sanitária”, faz analogia à escravidão e cita Hitler.

O Tribunal de Justiça do Rio suspendeu a exigência do passaporte da vacina na cidade do Rio de Janeiro na tarde desta quarta-feira (29). A decisão do desembargador Paulo Rangel é em caráter liminar.

A suspensão foi solicitada por uma cidadã em um habeas corpus, e o desembargador estendeu para todos os que circulam na cidade do Rio.

Na decisão, Rangel afirmou que o passaporte é uma “ditadura sanitária” e fez analogia à escravidão.

“Se no passado existiu a marcação a ferro e fogo dos escravos e gados através do ferrete ou ferro em brasas hoje é a carteira da vacinação que separa a sociedade. O tempo passa, mas as práticas abusivas, ilegais e retrógradas são as mesmas. O que muda são os personagens e o tempo”

Paulo Rangel, desembargador

29/9 – Dia Mundial do Coração

Em 2.019, a Federação Mundial do Coração quer chamar a atenção para a necessidade de conscientizar e incentivar indivíduos, famílias, comunidades e governos para criar uma comunidade global de heróis do coração – pessoas que prometem agir agora para viver mais e melhor no futuro, comprometendo-se a consumir alimentos saudáveis; fazer exercícios físicos; não fumar; controlar os níveis de colesterol.

As doenças cardiovasculares podem afetar o coração e os vasos sanguíneos, destacando-se a doença arterial coronariana, que envolve dor no peito e infarto agudo do miocárdio, sendo esta a maior causa de morbimortalidade no mundo. No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 300 mil indivíduos por ano sofrem Infarto Agudo do Miocárdio (IAM), ocorrendo óbito em 30% desses casos.

Os principais fatores de risco para eventos cardiovasculares são: hipertensão, diabetes, dislipidemia (níveis elevados de gordura no sangue), histórico familiar, estresse, tabagismo, obesidade, sedentarismo e doenças da tireoide. O uso de drogas ilícitas, como a cocaína, também pode levar ao infarto agudo do miocárdio. Os jovens devem procurar o cardiologista mais precocemente, objetivando a identificação de qualquer sinal de alerta, enfatizando que o tabagismo pode desenvolver doença coronariana, independente dos demais fatores de risco envolvidos.

Prevenção:

A melhor prevenção é ir ao cardiologista e seguir suas orientações:

– abandonar o sedentarismo, o tabagismo e praticar atividade física, conforme orientação médica;
– fazer trinta minutos de caminhada, pelo menos três vezes por semana, já é benéfico ao coração;
– manter uma alimentação saudável, sem gorduras ou frituras, dando preferência às carnes brancas;
– inserir vegetais, folhas e legumes nas refeições;
– trocar a sobremesa calórica por uma fruta;
– evitar o consumo excessivo de açúcar, massas, pães e alimentos industrializados;
– restringir a ingestão de bebidas alcoólicas.

Fontes: https://bvsms.saude.gov.br/; Ministério da Saúde; Sociedade Brasileira de Cardiologia; World Heart Federation

Hoje é o Dia Nacional da Liberdade de Expressão. É proibido proibir!

28 de Setembro – Dia da Liberdade de Expressão!

liberdade de expressão é um direito fundamental consagrado na Constituição Federal de 1988, no capítulo que trata dos Direitos e Garantias fundamentais e funciona como um verdadeiro termômetro no Estado Democrático.

Direito à liberdade de expressão significa a garantia de qualquer indivíduo poder se manifestar, buscar e receber ideias e informações de todos os tipos, com ou sem a intervenção de terceiros. Isto pode acontecer pelas linguagens oral, escrita, artística ou qualquer outro meio de comunicação.

A liberdade de expressão não é um direito absoluto, mas quando houver restrição, ela deve ser baseada em parâmetros claros, estritos e dentro de uma conjuntura definida. A restrição legítima é bem diferente de abuso de poder e ilegalidade.

liberdade de expressão está ligada ao direito de manifestação do pensamento, possibilidade do indivíduo emitir suas opiniões e ideias ou expressar atividades intelectuais, artísticas, científicas e de comunicação, sem interferência ou eventual retaliação do governo.

Fonte: Câmara Federal.

Polícia Federal desarticula grupo criminoso que fraudava licitação com verbas federais que seriam utilizadas no combate à pandemia COVID-19 na região metropolitana de São Luís

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 28/9, nas cidades de São Luís/MA e Paço do Lumiar/MA, a Operação Desmedida, com apoio da Controladoria Geral da União (CGU), com a finalidade de desarticular grupo criminoso estruturado para promover fraudes licitatórias e irregularidades contratuais no âmbito da Secretaria Municipal de Saúde de São Luís/MA, envolvendo verbas federais que seriam utilizadas no combate à pandemia COVID-19.

Cerca de 20 policiais federais cumpriram seis mandados de busca e apreensão e seis mandados de constrição patrimonial, com valores que chegam a 1,2 milhões. As ordens judiciais foram expedidas pela 1ª Vara Federal de São Luís/MA.

Inicialmente, foram constatadas fraudes em dois processos licitatórios instaurados, em 2020, pela Secretaria de Saúde de São Luís, para a contratação de insumos destinados ao combate à COVID-19.

Apurou-se que os referidos certames resultaram na contratação de uma empresa fictícia (sem sede física) e de uma empresa gerida por sócio “laranja/testa de ferro”.

Além da frustração do caráter competitivo dos procedimentos licitatórios, de acordo com análises da Controladoria Geral da União – CGU, evidenciaram-se superfaturamentos contratuais e simulação de vendas, gerando prejuízo milionário aos cofres públicos.

Se confirmadas as suspeitas, os investigados poderão responder por fraude à licitação (art. 90, Lei 8.666/93), superfaturamento, simulação de compra e venda (art. 96, I, IV e V, Lei 8.666/93), peculato (art. 312 do Código Penal), associação criminosa (art. 288 do Código Penal) e lavagem de dinheiro (art. 1º da Lei 9.613/98). Somadas, as penas podem chegar a 31 anos de prisão.

A denominação “Desmedida” faz referência ao descontrole nos quantitativos adquiridos no bojo das contratações fraudulentas, a exemplo de 50.400 pacotes de copo descartável e de 7.000 caixas de embalagens de quentinha, sem que tivesse havido, ao menos, a justificativa para o quantitativo contratado.

Fonte: Comunicação Social da Polícia Federal no Maranhão

Tags: Operação PFDestaqueFraude à licitação

150 anos da Lei do Ventre Livre

Lei do Ventre Livre (Lei nº 2.040/1871) foi assinada pela Princesa Isabel e promulgada em 28 de setembro de 1871, que neste ano de 2021 completa 150 anos.

Após ser aprovada no Legislativo brasileiro. Uma das leis abolicionistas decretadas ao longo do século XIX para abolir gradualmente a escravidão no Brasil, ela determinava que os filhos de escravizadas nascidos a partir de 1871 seriam considerados livres.

Essa lei criou dois cenários para dar liberdade aos filhos de escravas, e um desses cenários previa uma indenização aos senhores de escravos. Além disso, contribuiu para enfraquecer a legitimidade que a escravidão tinha na sociedade brasileira e foi usada pelo movimento abolicionista para combater a escravidão.

Contexto: a escravidão no século XIX

Na segunda metade do século XIX, o Brasil era um dos últimos países no mundo que mantinham o uso do trabalho escravo. Por isso, esse período ficou muito marcado pelos debates em torno da abolição da escravatura. Entretanto, essa discussão só ganhou força a partir da década de 1860, apesar de já existirem vozes na sociedade brasileira que defendiam a abolição antes disso.

No final da década de 1860, D. Pedro II foi um dos defensores da reforma em torno do trabalho escravo no Brasil

Um exemplo foi José Bonifácio de Andrada e Silva, conhecido como Patrono da Independência. Ele defendia o fim da escravidão, mas não por uma posição humanitária, e sim porque acreditava que o desenvolvimento do país passaria obrigatoriamente pelo crescimento da mão de obra livre.

Posturas racistas como essa de José Bonifácio eram comuns, mas, na década de 1860, o debate pela abolição do trabalho escravo começou a ganhar os contornos humanitários que apontavam os absurdos e os horrores de manter seres humanos escravizados. No entanto, os grupos econômicos mais poderosos, sobretudo os grandes fazendeiros do Sudeste, eram contrários à abolição. Leia Mais informações sobre o tema.

Tal lei foi promulgada, junto com a lei do Sexagenário, que tornou liberto todos os negros acima de 60 anos (naquela época era muito difícil um negro escravizado atingir tal idade, muitos morriam antes dos 30 anos), para protelar a abolição da escravização de negros e negras até 1888 quando, após diversos levantes pelo país na época, fez com que a princesa Isabel decretasse assinasse a lei Áurea.

Contudo, assim como a lei do Sexagenário, a Lei do Ventre Livre também tinha suas falhas. A primeira era decorrente da faixa etária, já que mesmo que os filhos fossem considerados livres, eles ainda precisavam ser mantidos nas senzalas junto aos seus pais e lá ficar até atingir a maturidade.

A outra foi que, supondo que já em 1871 nascessem filhos, eles atingiriam 10 anos somente em 1881, 15 anos em 1886, logo eles continuaram nas senzalas até o fim da escravidão, quando tinham 17 anos e, aí sim, teriam atingido a sua maturidade.

Portanto, se você, professor e professora, que estiver lendo essa matéria, cabe fazer esta discussão em sala de aula aos seus alunos. Afinal, em 2021, a Lei do Ventre Livre completa 150 anos.

Fontes: Senado Federal; https://falauniversidades.com.br/ e https://brasilescola.uol.com.br/