Fórum da Baixada e UFMA retomam debate sobre projetos para a Baixada Maranhense

Reunião contou com a participação do Magnífico Reitor, Dr. Natalino Salgado.

No início da noite da última quarta-feira (16/09), a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e o Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) deram prosseguimento à Agenda de Trabalho iniciada em novembro de 2019 e interrompida em fevereiro de 2020, de acordo com as normas sanitárias estabelecidas para controle da Covid-19. A reunião ocorreu por meio da plataforma virtual Google Meets.

Participaram da reunião, pela UFMA: Josefa Melo e Sousa Bentivi Andrade, Saulo Ribeiro dos Santos, Li Chang Shuen Cristina Silva, Marcos Fábio Belo Matos e o magnífico reitor Natalino Salgado Filho e pelo FDBM: Expedido Nunes Moraes, Antônio Lobato Valente e Ana Creusa Martins dos Santos; definiram posições, premissas e ações que irão consolidar, de modo concreto, esta parceria. Nesta reunião três assuntos foram intensamente debatidos e dado encaminhamentos:

  1. tratativas para elaboração do Termo de Cooperação Técnica entre a UFMA e o FDBM;
  2. criação do Polo de Empreendedorismo Rural da Baixada;
  3. construção de um Plano de Desenvolvimento da Baixada e Reentrâncias Maranhenses e
  4. definição e convocação de parceiros.

 

Com a finalidade de elaborar e aprovar o Plano de Desenvolvimento da Baixada e Reentrâncias Maranhenses e instalar o Polo de Empreendedorismo Rural da Baixada a ideia é criar um ambiente que envolva todos os seguimentos existentes no Território destas regiões. Para isto, deverão ser organizados vários eventos nos municípios culminando com um grande Fórum.

A proposta é que eventos contarão com a participação de todos os órgãos que formarão o Grupo de Trabalho. Pensa-se na realização de um Seminário sobre Turismo e Alimentação. E neste será estudada a implantação do Curso de Engenharia de Pesca no Polo da UFMA de Pinheiro.

Outros assuntos correlatos foram debatidos, como: ampliação das parcerias com os governos Federal, Estadual e Municipais e com os diversos órgãos e entidades públicas e privadas; eventos culturais e promoção da gastronomia baixadeira e costeira; os estaleiros artesanais de Cururupu;  existência de inventário cultural de Cururupu e efetivar parceria com o Consórcio dos Guarás.

Deixe uma resposta